domingo, 10 de maio de 2015

Como Usar DASH

Guia Prático: Como usar DASH

A DASH é uma criptomoeda que evoluiu a partir da Bitcoin, com aprimoramentos que a tornam uma digital cash por excelência. A DASH é dinheiro digital.

Para saber mais sobre a DASH, sugerimos a leitura do texto O que é a DASH.

A Wallet DASH

http://www.amazon.com/gp/product/B00R6LSAZI?ie=UTF8&camp=1789&creativeASIN=B00R6LSAZI&linkCode=xm2&tag=jusge-20A wallet DASH é o software (ou mesmo hardware) utilizado para a administração do saldo de dinheiro digital de um indivíduo ou organização. Apesar do nome significar carteira, na realidade a wallet funciona mais como um chaveiro, armazenando as chaves privadas necessárias ao controle dos endereços dash em que determinada quantidade de moedas poderá ser registrada.

Isso porque, a tecnologia das criptomoedas, para garantir descentralização, baseia-se na brilhante idéia do blockchain, que funciona como um registro de créditos e débitos.
O Blockchain é um registro do encadeamento de emissões e transferências de moedas. Esse registro está em constante evolução e cada peer (participante da rede P2P) em sincronia possui um clone idêntico desse registro, e garante sua segurança ao comparar e checar, por todo o tempo, a autenticidade das informações ali gravadas, de modo a impedir sua falsificação ou alteração dos registros. Para quem quiser ir mais a fundo, vale a pena pesquisar o funcionamento do blockchain, e da famosa mineração de criptomoedas.
Ou seja, é interessante, de antemão, ter-se noção que suas moedas não ficam na sua wallet. Elas "ficam" sempre (registradas em algum endereço) no blockchain. Em sua wallet, mais especificamente no arquivo "wallet.dat" (muito cuidado ao manusear esse arquivo - backup sempre!) ficam as chaves privadas que dão controle aos endereços (seus endereços) que no registro público do blockchain podem "conter" uma quantidade determinada de moedas.
Mas, na prática, a wallet parece mesmo funcionar como uma carteira digital: informa o saldo dash que você possui, o extrato (ou histórico de transações), informa seus endereços dash para recebimento de pagamentos (similares a números de contas bancárias), e possui até mesmo um livro em que você pode gravar os endereços dash de seus contatos.

Como Obter seu Endereço DASH

Tenha uma wallet

É por meio das chamadas wallets que o indivíduo poderá efetuar transações com dash. Ela funciona mais ou menos como uma conta bancária, em que são recebidos depósitos e seu saldo poderá ser facilmente administrado.

No seu computador, você pode instalar a wallet DASH oficial (wallet-QT) disponível em www.dashpay.io/downloads. Em seu smartphone ou tablet, há também a DASH wallet do Hash Engineering para Android, por exemplo.

Cada carteira contém uma quantidade de endereços próprios, formados por uma sequência de caracteres (exemplo de endereço: XiCaLCBSQ8tCRjJb9ETeoBMVyAaNpa6gPD). Seus endereços são como números de contas bancárias, que podem seguramente ser divulgados para todos os seus possíveis contatos de negócios, pois é através de um endereço dash que outras pessoas poderão enviar recursos financeiros para sua carteira.

Pode-se ter tantos endereços dash quantos lhe for conveniente. E até por uma questão de segurança e de privacidade, é mesmo aconselhável utilizar um endereço para cada transação realizada.

Na wallet DASH, por exemplo, para criar novos endereços, basta acessar, no menu, a opção "Receber" e então, clicar em " Requisitar Pagamento", e uma janela se abrirá, exibindo um novo endereço e seu respectivo código QR.
Quando alguém enviar DASH ao seu endereço, o pagamento chegará instantaneamente e, se sua wallet estiver sincronizada, o saldo estará disponível para você utilizar.

E por falar em sincronização, logo que você instala sua wallet ela precisará ficar online, conectada com os outros peers da rede para sincronizar, ou seja, para fazer o download do blockchain em seu computador. Por todo o tempo que sua wallet estiver online ela estará se mantendo em sincronia. Enquanto ela estiver fora de sincronia você não poderá realizar quaisquer transações, e seu extrato e saldo poderão estar desatualizados. Nessa situação a wallet dará o aviso de "fora de sincronia" até que sua cópia do blockchain esteja atualizada.

Essa situação é normal sempre que sua wallet passou algum tempo desconectada. A wallet funciona sempre conectada à Internet. E se a conexão estiver operante, a sincronia ocorrerá da forma mais rápida possível, dependendo da qualidade de sua conexão.

Pagamentos: Envio de DASH

Um envio de DASH funciona de forma similar ao envio de um e-mail: o endereço dash do destinatário será utilizado pela pessoa que faz o pagamento, especificando no local apropriado de sua wallet o destinatário da transferência.

Na opção de menu "Enviar", basicamente deve ser preenchido:
  1. Em "Pagar Para:" o endereço de destino das moedas;
  2. Em "Rótulo": pode-se identificar o nome do destinatário para que fique registrado no "catálogo de endereços" de sua wallet (apenas para seu controle. Essa informação não é transmitida a terceiros);
  3. Em "Quantidade:" a quantidade de moedas a ser enviada (até o limite do seu saldo).
Pode-se adicionar mais de um destinatário à mesma transação. Basta clicar em "Adicionar Destinatário", e especificar o endereço de cada um e o valor que cada um receberá.
Pode-se enviar apenas moedas previamente anonimizadas através do serviço de Darksend (o que é aconselhável, para se garantir a privacidade das partes), ou desmarcar essa opção, para enviar moedas a partir de qualquer saldo disponível.
Também, é possível marcar a opção "InstantX" para se beneficiar de uma maior rapidez para a confirmação do pagamento.

Por fim, basta clicar em "Enviar" e seu pagamento será efetuado com rapidez e segurança.

Todo pagamento efetuado através de blockchain vai ser confirmado pela rede, e quanto maior o número de confirmações que receber maior é a segurança daquela tansação. Para saber mais sobre como funcionam as confirmações, aconselho pesquisar especificamente sobre o funcionamento da blockchain e da mineração.

Como já vimos, cada transação é mantida em um registro público, chamado "blockchain", que confirma a validade da transação, de forma irreversível. A movimentação e o saldo de cada endereço é acessível publicamente através dos chamados block explorers, que são muito úteis para os usuários, os quais poderão realizar consultas sobre seus saldos e transações sem precisar utilizar uma wallet online.

A Chave Privada

Cada endereço (público) terá sua respectiva chave privada (secreta). Essa chave deverá ser mantida em sigilo, sob a maior segurança possível, pois funciona como se fosse a senha que dá plenos poderes a seu possuidor movimentar o saldo existente na wallet, no endereço que controla.

Paper Wallets

Uma das maiores preocupações, se não a maior, de qualquer pessoa que tem algum patrimônio é com a segurança. Com as criptomoedas não poderia ser diferente. Do mesmo modo que um cartão de crédito pode ser clonado, um talão de cheques, dinheiro ou barras de ouro podem ser roubados uma wallet também é passível de ser roubada ou hackeada.

Uma forma segura de manter seus DASH, ou qualquer outra criptomoeda é em paper wallets, ou carteiras de papel. Pode-se dizer que o paper wallet é um método de cold storage (armazenamento offline) que, quando feito da forma correta, é a mais segura forma de se guardar seu patrimônio de criptomoedas.

O método mais seguro de criação de uma cold storage é aquele que se mantém de forma totalmente offline, ou seja, sem qualquer contato direto com a Internet: Usar um sistema operacional em live CD sendo a opção mais indicada, pois evita que malwares eventualmente existentes em seu computador roubem os dados de sua wallet.

Manual Prático: Como criar sua paper wallet

Existem diversos sites específicos para geração de paper wallets, como por exemplo um específico para DASH é o DASHpag Paper Wallet Generator, ou ainda um outro em paper.darkcoin.io.

Para a correta criação de sua paper wallet, o segredo é, ao invés de criar a carteira diretamente na página enquanto conectado, simplesmente clicar com o botão direito do mouse e salvar a página web em um arquivo html no seu pendrive. Esse recurso é possível, e até incentivado, pois o arquivo html gravado, ao ser aberto num navegador em offline, funcionará normalmente, com a vantagem de se ter a certeza da privacidade (já que está funcionando sem contato com a Internet).

Esse aplicativo open source de criação de paper wallets, gravado no arquivo html a partir da página web, irá demandar que o usuário mova o mouse aleatoriamente para que a chave criptográfica gerada seja a mais forte possível.
Pronto! Aparecerão o endereço e respectiva chave privada para sua nova paper wallet. O aplicativo ainda traz outras opções bem bacanas, mas basicamente é isso. Fácil, não?

Agora é só imprimir (de forma segura), ou apenas gravar em formato pdf, e manter a chave privada guardada a sete chaves: Caso imprima sua paper wallet, guarde-a como guardaria qualquer outro objeto de grande valor, lembrando-se sempre que se o código QR da chave privada for inadvertidamente escaneado por um leitor de QR terá, automaticamente, sua segurança comprometida. Se preferir armazenar num formato pdf, deixe-o em um container criptografado, MAS CUIDADO PARA NÃO ESQUECER A SENHA DA CRIPTOGRAFIA, pois sem sua chave privada não se tem acesso ao saldo guardado na wallet.

O endereço da paper wallet poderá ser divulgado para qualquer pessoa que vá enviar dinheiro para esse endereço. Você poderá acompanhar facilmente o saldo depositado em sua carteira de papel através de um block explorer.

A boa prática que se sugere é manter uma pequena quantidade de DASH em sua wallet-QT online para uso cotidiano e, em cold storage, a maior parte (poupança) que, offline, estará melhor protegida.

Uma idéia legal é criar "paper wallets" sem a chave privada, contendo apenas o endereço. Não é bem um paper wallet, mas o interessante aqui é poder exibir, todo orgulhoso, sua coleção de criptomoedas.

Usando sua criatividade, você pode criar paper wallets muito bonitas.
A paper wallet serve então como uma forma segura de "poupança" da maior parte das suas criptomoedas. Quando houver a necessidade de gastar um parte daquele dinheiro guardado nessa cold storage, bastará importar a chave privada para uma wallet conectada e o saldo estará disponível para uso. Após o uso, havendo algum "troco" (change address), o correto é enviar esse troco para uma NOVA paper wallet, sendo mais seguro considerar "inutilizada" a paper wallet anterior.

BACKUP, Sempre!

Um cuidado que sempre se deve ter, para garantir a segurança de seu dinheiro digital: sempre fazer cópias de segurança de suas chaves privadas. Lembre-se, são as chaves privadas que dão controle sobre seus endereços dash, isso traz duas consequências:
  • Se você perder uma chave privada, perderá o controle do respectivo endereço, consequentemente, a todo o saldo depositado nesse endereço;
  • Se terceiros descobrirem sua chave privada, o endereço que ela controla estará automaticamente comprometido, podendo passar a ser controlado por tal pessoa.
Portanto, cuide de suas chaves privadas com o devido valor, como você cuidaria de uma jóia, de uma carteira com dinheiro, ou da senha de seu cartão bancário: com responsabilidade.

Antes de instalar o programa da wallet, cuide para que seu aparelho, tablet ou computador esteja seguro, livre de virus, pois há cada vez mais criminosos atacando os usuários de computadores, não só visando criptomoedas, mas da mesma forma, para roubar suas senhas, fraudar operações bancárias pela Internet, e até mesmo a emissão de boletos!

Uma vez instalada a wallet, SEMPRE antes de começar a utilizar seu endereço dash, faça o Santo Backup (santo mesmo, backup já salvou muita gente!). E toda vez que criar novo endereço, é importante atualizar seu backup.

A técnica básica para o backup de sua wallet-QT é fazer cópias do arquivo "wallet.dat" (que fica na pasta de dados da Dash em seu computador) para outros dispositivos (pendrive, outro computador, em cd, na nuvem*, etc), de modo que você tenha várias cópias de segurança desse arquivo para o caso de você perder o arquivo original por algum problema em seu computador, por exemplo.

Mas chamo a atenção para a necessidade de CUIDADOS ao realizar essa manobra:
  • Sempre criptografe seu wallet.dat. É facílimo. Basta clicar no menu em "Configurações", e a opção de "Criptografar Carteira" dará assistência para o procedimento;
  • No procedimento acima, para criptografar sua wallet.dat, escolha uma senha forte, e a anote e guarde em local seguro para não correr o risco de esquecer, pois sem ela ninguém consegue movimentar seu saldo (e não existe forma alternativa de recupar o acesso ao wallet.dat sem conhecer sua senha);
  • Saia (desligue) a dash wallet-QT, e espere que esse programa feche por completo antes de copiar ou manipular o arquivo "wallet.dat", pois se ele for manipulado com a wallet-QT em funcionamento ficará corrompido e você poderá perder suas chaves privadas nele gravadas;
  • * SEMPRE, principalmente antes de gravar sua wallet.dat na nuvem, mas mesmo em qualquer caso, para uma maior segurança, aprenda a utilizar programas de criação de containers criptografados de modo que você possa tornar virtualmente impossível o acesso não autorizado a suas cópias de segurança.

A Dash Wallet para Android da Hash Engineering, por padrão, já incentiva o usuário a fazer backup de uma forma muito simples. Logo que instalamos a wallet já recebemos uma mensagem solicitando a realização da cópia de segurança. Também quando recebemos o primeiro pagamento, e sempre que criamos um endereço novo recebemos a mensagem de solicitaçao de backup. Mas a qualquer momento, pode-se fazer a cópia de segurança, bastando clicar em "Segurança" no menu, e depois em "carteira Cópia de segurança", e será aberta uma janela auxiliando o procedimento.
Nesse caso, seu arquivo de backup ficará gravado na pasta "download" de seu dispositivo Android com nome no formato Dash-wallet-keys-ano-mes-dia. Faça cópias desse arquivo (que é criptografado com uma senha que você escolheu no momento do backup), e deixe-as gravadas em algum pendrive, em seu computador, em cd, etc, com as mesmas precauções já ressaltadas acima.

A técnica do paper wallet é também uma técnica de backup perfeita, e é aconselhavel adotá-la sempre. Nesse caso, é possivel utilizar o comando dumpprivkey para exportar sua chave privada (uma sequência de letras e números parecida com o endereço, apenas maior - CUIDADO pois se revelada a terceiros fica comprometida).

A wallet-QT responderá ao comando dumpprivkey informando sua chave privada, agora basta imprimi-la em papel ou gravar a sequência alfanumérica num arquivo de texto seguro e, caso futuramente necessário, o comando importprivkey permitirá restaurar o endereço em uma nova wallet. Este pode ser um último recurso salvador para o caso de wallet.dat corrompido, sem outras cópias funcionais, ou cuja senha se tenha esquecido (mas sempre com a limitação de que cada chave privada dará acesso apenas seu respectivo endereço e eventuais moedas nele registradas).

Reconheço que a solução da "paper wallet" nesse caso demanda um pouco mais de experiência do usuário (cuidado com change addresses, por exemplo), mas muito rapidamente se chega no nível de conhecimento necessário a dominar todos os detalhes dessa poderosa ferramenta. Basta um pouco de pesquisa e conversa em forums especializados, onde há sempre usuários dispostos a ajudar.

Como Adquirir DASH

Como qualquer outra moeda, existem inúmeras formas de se ganhar DASH. Curiosamente, uma das formas de se receber DASH é minerando. Essa talvez seja a forma mais difícil e especializada hoje em dia, pois o indivíduo dependerá de um grande investimento em recursos de informática, com a aquisição de hardware especializado que ficará à disposição da rede, dedicando recursos (memória, processamento, energia), em troca de, eventualmente, ser recompensado com DASH.

Pode-se também adquiri-las fazendo câmbio, em exchanges, e é claro, pode-se receber DASH como remuneração por um trabalho, ou até mesmo por doações.

Uma forma muito importante, e até mesmo conveniente, de aquisição de DASH se dá através da negociação, compra e venda P2P, ou seja, a negociação realizada diretamente entre os usuários, sem a necessidade da intervenção de terceiros, como bancos ou corretoras.

É possível receber doações através de sites conhecidos como faucets, que são serviços que dão DASH gratuitamente aos sues usuários. Eis uma lista de DASH faucets.

Finalmente, o mais importante: PESQUISE MUITO. Toda dúvida que tiver, pesquise! A Internet é pródiga em fontes de informações, e não é diferente no que se refere às criptomoedas, o dinheiro da Internet por excelência. Quanto mais você utilizar e pesquisar, mais domínio terá sobre essa tecnologia.

Leia mais em: